VÁRZEA GRANDE

VÁRZEA GRANDE

Prefeitura de VG abre mais um ciclo de contratações e oferta hoje 400 vagas

Avatar

Publicados

VÁRZEA GRANDE


A prefeitura de Várzea Grande, por meio da Secretaria de Assistência Social, realiza hoje, 22, mais uma etapa do projeto municipal de geração de emprego e renda, o ‘Emprego Solidário’. O processo seletivo abre 400 vagas para contratação imediata de várzea-grandenses para o frigorífico Marfrig, líder global em produção de hambúrgueres e uma das maiores empresas de carne bovina do mundo, que está localizado no bairro Alameda Júlio Müller.

Os interessados devem procurar a sede do Centro de Referência da Assistência Social (CRAS) Cristo Rei, localizado à rua Professora Isabel Pinto, 258, a partir das 8h. Os candidatos têm de portar CPF, RG, Carteira de Trabalho e de Reservista (no caso dos homens).  Além de carteira assinada, a multinacional brasileira oferta cesta básica, desconto em produtos da marca Marfrig, restaurante no local, seguro de vida, plano de saúde e odontológico. 

O ‘Emprego Solidário’, lançado no mês passado, já reconduziu (empregou) cerca de 320 várzea-grandenses ao mercado formal de trabalho, graças às parcerias firmadas com o Sistema S, Câmara de Dirigentes Lojistas de Várzea Grande (CDL/VG), a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Mato Grosso (Fecomércio/MT) e empresas privadas. A meta da Secretaria de Assistência Social, como destaca a titular da Pasta, a secretária municipal de Assistência Social, Eliamara Araújo Zeferini,  é criar aproximadamente 1,5 mil novas frentes de trabalho com carteira assinada até o final do ano, por meio do ‘Emprego Solidário’.

Como frisa o prefeito Kalil Baracat, o projeto tem como objetivo diminuir os impactos da pandemia da Covid-19 com a geração de emprego e renda na cidade, garantindo a recolocação de muitos chefes de família ao mercado formal, criando oportunidades para todos os várzea-grandenses. “Muitas famílias foram diretamente afetadas pela pandemia nesses últimos doze meses de restrições. Quem já estava desempregado antes da pandemia teve menos chances de recolocação ainda. Por isso criamos essa espécie de ‘força-tarefa’ para trazer à formalidade quem precisa”.  

Leia Também:  Várzea Grande e Justiça firmam cooperação técnica em busca de cobrar R$ 200 milhões em impostos

Conforme dados mais recentes do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), Várzea Grande criou quase 1.200 novas frentes de empregos formais – com carteira assinada – de janeiro a maio deste ano. Ampliando a análise, nos últimos 12 meses a geração de empregos somou 4.428 novos postos.

O prefeito destaca também, que a parceria é uma ação que gera ganhos a todos os entes envolvidos, é um ciclo virtuoso. “Quem emprega amplia a produção e vende mais. Quem é empregado tem salário fixo e pode planejar o orçamento doméstico, passando a gastar mais no comércio. O comércio, a indústria e a prestação de serviços por sua vez, vendem mais, faturam mais, demandam por mais mão-de-obra e geram mais impostos ao Município e a administração pública retorna com investimentos em obras e serviços. Não há melhor engrenagem que essa para promover o desenvolvimento de uma cidade”.

“Por meio do ‘Emprego Solidário’ buscamos alternativa de renda para quem mora em Várzea Grande, inclusive para imigrantes que aqui residem. As empresas parceiras passam a demanda de vagas e a nossa Secretaria, através dos Centros de Referência em Assistência Social localizados em todas as regiões da cidade, faz essa seleção. Esperamos, a partir da parceria de diversas empresas, oportunizar milhares de vagas de empregos”, declarou a secretária Eliamara Araújo Zeferini. 

Leia Também:  Estão abertas inscrições para a 7ª edição da Olimpíada de Língua Portuguesa

PROJETO – A secretária lembra que o primeiro processo seletivo foi realizado em parceria com a Rede Comper e gerou 240 vagas, inclusive para pessoas portadoras de necessidades especiais, “o que torna o alcance social do projeto ainda maior. Não apenas geramos renda, mas principalmente a inclusão social”.

Muitos outros processos seletivos ocorrerão nos próximos meses, por meio do ‘Emprego Solidário’. “Tivemos uma excelente receptividade por parte das empresas quando saímos em buscas de parcerias. A iniciativa deu tão certo que hoje as empresas de vários portes e segmentos já nos procuram com suas demandas por mão-de-obra. Estamos surpresos com a repercussão e muito satisfeitos por gerar oportunidades à população”, avalia Eliamara.

Os requisitos para se candidatar a uma vaga é estar desempregado e ter 18 anos ou mais. O projeto também trabalha a assertiva no mercado de trabalho, ou seja, buscando o perfil certo para a vaga. “Muitas vezes as pessoas aceitam um emprego por necessidade, mas não gostam da função que executam. Por isso, pedimos que as pessoas já procurem os Cras de suas regiões, façam um pré-cadastro por vagas de emprego e formalizem em que áreas gostariam de atuar. A partir desse levantamento, poderemos direcionar para novas vagas que venham a surgir, bem como oferecer cursos de capacitação”, acrescenta.

Eliamara reforça ainda que as contratações ocorrem por meio de processo seletivo, ou seja, os candidatos às vagas passam por uma pequena avaliação, realizam uma prova. “É uma forma de recrutar pessoal de maneira abreviada e eficaz e ainda concretiza logo a ocupação da vaga”

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

VÁRZEA GRANDE

Várzea Grande atuará para conscientizar na prevenção contra o câncer de mama

Avatar

Publicados

em

Por


Várzea Grande vai atuar de forma incisiva e prematura para ajudar, auxiliar e contribuir no combate ao câncer de mama que é o que mais acomete as mulheres no Brasil.

A primeira-dama de Várzea Grande, a Promotora de Justiça, Kika Dorileo Baracat, recebeu a visita de voluntárias do MT Mama. Ela será parceira da ação que tem por objetivo chamar a atenção de mulheres para os cuidados com a saúde e a importância de se fazer o acompanhamento anual para a prevenção e diagnóstico do câncer, em especial ao de mama e colo de útero.

No Brasil, segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), o câncer de mama também é o tipo de câncer que mais acomete as mulheres no país (excluídos os tumores de pele não melanoma). Em 2019, foram estimados 59.700 casos novos, o que representa uma taxa de incidência de 51,29 casos por 100 mil mulheres. A única região do país em que o câncer de mama não é o mais comum entre as mulheres é a Norte, onde o de colo de útero ocupa a primeira posição.

Com uma taxa de 13,68 óbitos/100 mil mulheres em 2015, a mortalidade por câncer de mama (ajustada pela população mundial) apresenta uma curva ascendente e representa a primeira causa de morte por câncer nas mulheres brasileiras. O Sul e o Sudeste são as regiões que apresentam as maiores taxas de mortalidade, com 15,26 e 14,56 óbitos/100 mil mulheres em 2015, respectivamente.

Leia Também:  Kalil anuncia estudos para concurso público para a Guarda Municipal e entrega fardas e equipamentos

A incidência da doença aumenta em mulheres a partir dos 40 anos. Abaixo dessa faixa etária, a ocorrência da doença é menor, bem como sua mortalidade, tendo ocorrido menos de 10 óbitos a cada 100 mil mulheres. Já a partir dos 60 anos o risco é 10 vezes maior.

“Vamos atuar firmemente nesta campanha. Neste ano a Secretaria de Assistência Social contribuirá com a instituição na venda de camisetas e máscaras, que serão revertidas para projetos e ações do próprio órgão. Também estamos alinhando, juntamente com a Secretaria de Saúde, várias ações voltadas à saúde da mulher e, que serão ampliadas durante todo o mês de outubro”, destacou.

Kika Dorileo disse ainda que é importante que todas as mulheres tenham consciência da necessidade de se cuidarem e de manter em dia a sua saúde. “Muitas mulheres dedicam o seu tempo com a função profissional, o trabalho no cuidado da casa e da família e esquecem-se de cuidar da própria saúde. É importante que tenhamos tempo para nos cuidar também, e esse alerta é reforçado com a campanha do Outubro Rosa”.

Silbene Silva foi diagnosticada com câncer e depois de ter feito o tratamento, resolver se dedicar a causa e hoje é voluntária do MT Mama.  “Foi muito difícil receber o resultado, que só aconteceu depois deu ter feito o exame, quase que por acaso. Hoje vejo a importância de se prevenir e de procurar atendimento médico anualmente. A atenção e dedicação da minha família foi importante neste processo de cura e tratamento rápido e eficaz, realizado por toda a equipe, também foi essencial neste processo de cura”, observou.

Leia Também:  Patrulha Maria da Penha já atendeu mais de 2 mil mulheres em Várzea Grande

Ela informou ainda que a partir do dia 30 de setembro haverá um ponto de comercialização de camisetas e máscaras em um quiosque montado no piso térreo do Várzea Grande Shopping. As camisetas serão vendidas por R$ 50,00 e as máscaras ao custo de R$ 20,00.

A secretária de Assistência Social, Ana Cristina Vieira destacou a arte da camiseta que neste ano foi elaborada pela artista plástica Rubi Releon. “Uma artista fantástica que expressa com singularidade e beleza das imagens que produz”, pontuou.

O MT Mama sobrevive da contribuição de associados, de doações e parcerias com o setor privado, e atende mais de uma centena de mulheres em tratamento e pós-tratamento do câncer de mama, oferecendo atividades gratuitas como reiki, meditação, hidroginástica, dança do ventre terapêutica, fisioterapia, oficinas de artesanato e customização, bate-papos mensais e grupo de psicoterapia.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

MATO GROSSO

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA