VÁRZEA GRANDE

TECNOLOGIA

Lituânia pede que população jogue fora todos os celulares da China

Avatar

Publicados

TECNOLOGIA


source
Xiaomi Redmi 10
Divulgação

Xiaomi Redmi 10

O Ministério da Defesa da Lituânia pediu que a população jogue fora seus smartphones chineses e evitem comprar novos. A declaração foi feita nesta terça-feira (21) e foi divulgada junto com um relatório do Centro Nacional de Cibersegurança.

O órgão analisou celulares 5G das chinesas Xiaomi, Huawei e OnePlus e afirma ter encontrado “alguns riscos de segurança de dados cibernéticos e pessoais”.

“Nossa recomendação é não comprar novos telefones chineses e nos livrar dos já comprados o mais rápido possível”, disse o vice-ministro da Defesa, Margiris Abukevicius. Arvydas Anušauskas, ministro da Defesa, disse que  as vulnerabilidades encontradas pelo estudo “devem levar ao abandono desses produtos em instituições governamentais”.

O relatório

De acordo com o estudo realizado pelo Centro Nacional de Cibersegurança da Lituânia, o Mi 10T 5G, da Xiaomi, possui um software que pode identificar e censurar alguns termos, como “Tibete Livre”, “Viva a independência de Taiwan” ou “movimento pela democracia”. Ao todo, cerca de 450 termos foram encontrados.

O recurso está desativado na versão global dos celulares da Xiaomi, estando presentes apenas nas versões chinesas. De acordo com o relatório, porém, a ferramenta poderia ser ativada a qualquer momento.

Leia Também:  Xiaomi 11T e 11T Pro são lançados com câmera tripla de 108 MP

Além disso, dados dos usuários da Xiaomi são salvos em um servidor em Singapura, de acordo com o estudo. “Isso é importante não apenas para a Lituânia, mas para todos os países que usam equipamentos da Xiaomi”, escreveu o Centro.

Já no caso da Huawei, o relatório analisou o Huawei P40 5G e destacou que há risco de cibersegurança, já que a loja oficial de aplicativos da Huawei, AppGallery, “direciona os usuários a lojas virtuais de terceiros, onde alguns dos aplicativos foram avaliados por programas antivírus como maliciosos ou infectados com vírus”.

À BBC, a Huawei disse que “os dados nunca são processados ​​fora do dispositivo Huawei” e que “o AppGallery apenas coleta e processa os dados necessários para permitir que seus clientes pesquisem, instalem e gerenciem aplicativos de terceiros, da mesma forma que outras lojas de aplicativos”. Além disso, a empresa disse realizar verificações de segurança para garantir que os clientes baixem apenas “aplicativos que são seguros”. A BBC procurou a Xiaomi, que não se manifestou sobre o assunto.

Leia Também:  Ações da Apple caem após anúncio de estoque limitado do iPhone 13

O relatório ainda analisou um celular 5G da OnePlus, mas nenhum tipo de problema foi identificado.

Lituânia x China

O relatório e a declaração do Ministério da Defesa da Lituânia chegam em um momento de tensão entre o país e a China.

No mês passado, a China exigiu que a Lituânia tirasse seu embaixador de Pequim (capital da China) e afirmou que retiraria seu representante de Vilnius (capital da Lituânia).

A disputa entre os países começou quando Taiwan anunciou que suas missões na Lituânia seriam chamadas de Escritório de Representação de Taiwan. A China reivindica o território da ilha como seu.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

TECNOLOGIA

Os 7 jogos da Square Enix mais populares

Avatar

Publicados

em

Por


source
Conheça as franquias mais populares
Reprodução

Conheça as franquias mais populares

Algumas franquias da produtora nos acompanham desde o século passado. Veja abaixo, os 7 jogos da Square Enix mais populares, em relação direta com o volume de vendas e arrecadação. Para evitar ficarmos apenas em variações de títulos da mesma história, reduzimos a lista em franquias.

7. Chrono Trigger

Um RPG clássico e considerado por muitos o melhor das gerações antigas de consoles. Chrono Trigger começou sua franquia em 1995 para o SNES, vendendo cerca de 5 milhões de cópias. Dois jogos dificilmente fazem uma franquia, mas a verdade é que havia um segundo jogo sobre o qual poucos ocidentais conhecem na série Chrono. Radical Dreamers foi um lançamento apenas no Super Nintendo japonês, ou Super Famicom. Lançado em 1996 como uma animação e serve de base para o que se tornaria Chrono Cross em 1999.

  • Ano de lançamento: 1995
  • Plataformas: Windows, SNES, Nintendo DS, Wii, PS1, PS3

6. SaGA

SaGA começou a franquia em 1989 para o Game Boy e vendeu cerca de 10 milhões de unidades. Na verdade, foi como um spin-off de Final Fantasy no Ocidente, chamado The Final Fantasy Legend em 1990.

Todos os três jogos de Game Boy seriam rotulados assim e o primeiro jogo verdadeiro SaGA lançado aqui que permaneceu fiel ao nome foi SaGa Frontier para PS1.

  • Ano de lançamento: 1989
  • Plataformas: Game Boy, SNES, Wii, PS1

5. Mana

Mana começou sua franquia em 1991 para o Game Boy e vendeu por volta de 12 milhões de unidades. Isso também começou como um spin-off de Final Fantasy, mas ao contrário da franquia SaGA, este jogo também foi referido sob o banner Final Fantasy. O próximo jogo, Secret of Mana no SNES, é onde a série Mana realmente começou. O último jogo foi, na verdade, um remake da terceira entrada, Trials of Mana.

  • Ano de lançamento: 1991
  • Plataformas: Windows, PS1, PS2, PS3, Nintendo Switch, Nintendo DS, SNES, Game Boy,
Leia Também:  Google Meet não tem mais reuniões em grupo ilimitadas na versão gratuita

4. Kingdom Hearts

Realmente, os maiores destaques da Square Enix são os jogos de RPG. Kingdom Hearts começou em 2002 para o PS2 e com 32 milhões de unidades vendidas. Isso é um grande salto em termos de vendas de franquia, mas só mostra o quão poderosa é uma marca Disney.

Leia Também

O último jogo foi Kingdom Hearts: Melody of Memory. A programação geral de lançamentos está em todo lugar, com remasterizações e spin-offs em abundância, Kingdom Hearts ainda não perdeu seus fãs quase duas décadas depois.

  • Ano de lançamento: 2002
  • Plataformas: Windows, PS2, PS3, PS4, Xbox One

3. Tomb Raider

Um respiro nos jogos de RPG. Tomb Raider teve seu primeiro título lançado em 1996 para o PS1 e vendeu algo em torno de 81 milhões de unidades. O último jogo foi Shadow of the Tomb Raider em 2018.

A equipe pode estar em uma pausa por um tempo, vendo como a Square Enix não ficou feliz com a maioria das vendas da trilogia recente. Eles foram considerados bons pela maioria das empresas, mas não o suficiente para a Square Enix. Lara Croft sempre volta, então não precisa se preocupar.

  • Ano de lançamento: 1996
  • Plataformas: Windows, Mac, Linux, Xbox 360, Xbox One, Series, PS1, PS3, PS4, PS5

2. Dragon Quest

Voltamos aos RPGs, o primeiro Dragon Quest é de 1986 para o NES — Nintendo 8 bits — e vendeu cerca de 82 milhões de unidades. O último jogo será Dragon Quest: The Adventure of Dai Infinity Strash, com previsão de lançamento em 2021 para diversas plataformas.

Leia Também:  Redes sociais e streaming: como nosso uso da tecnologia impacta o meio ambiente?

É baseado em um mangá que começou em 1989 e se estendeu por trinta e sete volumes, que consistem em mais de trezentos capítulos. Houve também uma adaptação para anime que durou bem menos. No geral, Dragon Quest é o rei dos JRPGs puro e simples.

  • Ano de lançamento: 1986
  • Plataformas: SNES, Nintendo Switch, Game Boy, PS4

1. Final Fantasy

Não temos como fugir da série de jogos mais popular da Square Enix, seus inúmeros títulos lançados e carga de fãs. Final Fantasy começou sua franquia em 1987 para o NES e vendeu cerca de 159 milhões de unidades.

Dragon Quest pode ser o rei no Japão, mas Final Fantasy foi, e provavelmente sempre será, o embaixador dos RPGs japoneses em todo o mundo. O título mais recente, Final Fantasy XVI, está programado para estrear ainda em 2021. Com os atrasos que já aconteceram, é difícil acreditar, mas o fã sempre está torcendo.

  • Ano de lançamento: 1987
  • Plataformas: Windows, SNES, PlayStation, Game boy,

Menções Honrosas

Alguns jogos icônicos não entraram no top 7, mas merecem ser citados sempre:

  • Space Invaders;
  • Legacy of Kain;
  • Just Cause 2;
  • Hitman (títulos da produtora);
  • Nier Automata.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

MATO GROSSO

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA