VÁRZEA GRANDE

TECNOLOGIA

Drone alemão pode encontrar pessoas por seus gritos

Avatar

Publicados

TECNOLOGIA


source
Drone procura vítimas
Unsplash/Josh Sorenson

Drone procura vítimas

Um drone que procura humanos pelos seus gritos parece algo saído de algum filme de terror independente com orçamento duvidoso, mas neste caso é um projeto real conduzido por pesquisadores do Instituto Fraunhofer de Comunicação, Ergonomia e Processamento da Informação (FKIE), na Alemanha .

A premissa, felizmente, só assusta no nome – “ Ninho do Corvo ” é o apelido do projeto -, já que sua aplicação pretende ser bem mais altruísta: a ideia é criar um drone capaz de procurar vítimas de desastres e outros episódios pelos gritos, já que, por qualquer razão, acabaram presas em escombros ou não foram percebidas por times de resgate no solo.

“O nosso projeto é continuado, então ainda estamos fazendo muitos testes. Nós já tivemos sucesso em detectar e localizar sons impulsivos [gritos] com e sem inclinação e dentro da abrangência do drone”, disse a líder do projeto, Macarena Varela, em um comunicado à imprensa. “Nós vamos testar o sistema em um drone ativo para medir sons impulsivos, e processar os dados por meio de diferentes métodos para também estimar a posição geográfica de cada som”.

Leia Também:  YouTube proíbe propaganda política no topo da página

Você viu?

Em 2020, tivemos cinco terremotos de magnitude 6 ou superior, resultando na morte de aproximadamente 180 pessoas. Embora não seja possível afirmar quantos destes óbitos tenham sido de vítimas não encontradas, é de se esperar que sobreviventes presos em escombros busquem ajuda. Entretanto, como o som da voz tende a ricochetear de paredes e outras superfícies, há grandes chances de que ele pareça vir de outra direção – isso quando são ouvidos.

A pesquisa liderada por Varela tem potencial para salvar vidas . Dentro da complexidade sonora de um desastre, um dispositivo capaz de isolar sons específicos para buscar vítimas certamente seria de grande ajuda – especialmente considerando que drones têm a capacidade de chegar em lugares que humanos não podem, ou levariam tempo demais.

Leia Também:  Primeiro dobrável da Xiaomi vende mais de 30 mil unidades em um minuto

O projeto “Ninho do Corvo” ainda não foi testado em voo , mas seus progressos atuais devem ser apresentados no encontro da Sociedade Acústica da América, nesta semana.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

TECNOLOGIA

Aplicativo feminino de traição alcança 150 mil usuários no Brasil

Avatar

Publicados

em

Por


source
Aplicativo de traição bomba no Brasil
Unsplash/We-Vibe WOW Tech

Aplicativo de traição bomba no Brasil

Pensado por mulheres e feito também para elas, o app Gleeden é o primeiro site voltado para encontros entre pessoas casadas. Segundo a plataforma, a experiência é para quem “esteja procurando uma aventura extraconjugal perto de casa ou um amante a milhares de quilômetros para suas viagens.”

O app , chamado Gleeden, surgiu em 2009, na França, e já está presente em vários países, como Espanha, Itália, México e, recentemente, Brasil. De acordo com o site Universa, do UOL, a plataforma já reúne 7 milhões de perfis cadastrados pelo mundo e, dentre esses, 150 mil são de brasileiros.

O site promete segurança , liberdade e anonimato, tanto que a maioria das contas não possuem fotos – ou apenas partes do corpo – e os nomes, geralmente, são fakes. O app não aceita apenas pessoas casadas, bem como não apenas mulheres, no entanto, nas informações do perfil é obrigatório informar seu status de relacionamento e, no caso dos homens, é necessário comprar créditos para usar o serviço. Para mulheres, o app é totalmente gratuito.

Dentro do programa, as mulheres decidem tudo, inclusive, avaliam homens com like ou dislike. Existe também um tipo de “Botão de Pânico” ou “Saída de emergência”, que aciona o modo alerta e sai do app rapidamente, redirecionando a usuária ao Google .

Leia Também:  Amazon confirma que Brasil vai participar do Prime Day 2021

Você viu?

Por que elas traem?

De acordo com uma pesquisa feita pelo próprio site do Gleeden em março deste ano, 27% do público feminino aponta o sexo como principal impulso para entrar no aplicativo e 34% das usuárias responderam que trair os companheiros as deixa mais “felizes e vivas.” Mesmo o app tendo sido feito para mulheres, elas ainda ocupam uma pequena porcentagem de cadastros no site. Em entrevista a Universa, a psicóloga e sexóloga Sandra Vasques atrela isso ao machismo.

“A traição feminina é vista de um jeito diferente da masculina. Se um homem quando trai, falam: ‘Ah, é normal, é coisa do gênero, não conseguiu ser fiel’. Já a mulher quando trai ela é chamada de promíscua, dizem que ela não dá valor para a família, que ela é fraca”, explicou a especialista.

A psicóloga ainda acrescenta que “tanto um homem quanto uma mulher que traem podem ser mais felizes depois do ato. [Mas] se a pessoa está em dúvida ou tem medo, pode ser que não. A traição não é uma passagem nem para a felicidade nem para a infelicidade, vai depender dos valores e das escolhas de quem está traindo. Caso ter um relacionamento extraconjugal vai de encontro aos desejos dela, e aquilo não fere nenhum julgamento moral, a resposta é positiva”. Contudo, assumir um relacionamento e garantir fidelidade a uma pessoa é algo importante e que deve ser respeitado, bem como a vida emocional do parceiro.

“Se você fez um compromisso com a pessoa de que vai ser fiel, você assumiu uma responsabilidade que a princípio devia ser cumprida. Quando você se dá conta de que não quer mais ser monogâmico, acho que é legal tocar no assunto com seu parceiro”, orienta a sexóloga, que ressalta a opção de “abrir o relacionamento”. Muitos casais optam pelo relacionamento aberto para evitar conflitos vindos de traições, mas nem todos estão preparados para a experiência, que requer maturidade e consentimento entre o casal.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

MATO GROSSO

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA